Responder a: Evolução da dieta

  • Mariane Oliveira Costa Martins

    Membro
    11 de setembro de 2022 em 20:16

    Olá pessoal, sou Mariane Martins, Professora da disciplina Cirurgia Bariátrica da Pós Graduação Endocrinologia e Metabologia da VP. Vou compartilhar com vocês a minha experiência.

    Se esse paciente chegasse hoje com essa queixa no meu consultório como não conheço a história dele, faria alguns questionamentos:

    – De quanto em quanto tempo ele está se alimentando? Passar muito tempo sem se alimentar pode aumentar os enjoos na próxima refeição e principalmente se essa refeição for com um teor de carboidrato simples e pouca proteína.

    – Outro ponto que investigaria seria a presença de lactose na rotina alimentar

    – Também verificaria o volume ingerido e a rapidez da ingestão, pois isso pode sim aumentar os enjoos. ao investigar o tempo da alimentação pergunte quanto tempo ele demora para ingerir a refeição. o ideal uma refeição pequena de 120 a 150 ml durar em média 30 minutos.

    – analise a composição da dieta pastosa – como falei (carboidratos simples e de alto índice glicêmico pode provocar enjoos em pacientes mais sensíveis ao dumping – enjoo também é sinal de dumping

    – Identificando os pontos de ajuste – oriente esse paciente fazer refeições de 2 em 2 horas com carboidratos de baixo índice glicêmico e com proteínas.

    – melhore a digestão do paciente com chás nos intervalos como hortelã com gengibre , ou hortelã com erva doce

    – Fazendo as modificações e mesmo assim não surtir efeito – também pode suspeitar de investigar edema da anastomose – pedindo o paciente para procurar o cirurgião bariátrico

    😍😍

    Abraços